Coisas que aprendi ao adotar um animal de estimação

19 de Fevereiro, por Mariana Rodrigues

Quem me segue no Instagram já deve ter visto várias fotos minhas com a Peteca, mascote aqui de casa. Hoje vim contar como a chegada de um cachorro na nossa casa mudou a minha vida – e a do Diego também. Mas antes de falar da nossa Petequinha, preciso contar nossa história com a Chica e como precisamos de muito mais que amor para adotar um animal de estimação.

Durante os anos de namoro, eu e Diego vivíamos stalkeando perfis de ONGs que resgatam e cuidam de animais abandonados, “paquerando” os cãezinhos e aguardando a hora em que finalmente conseguiríamos adotar um. Quando estávamos terminando a reforma do nosso apartamento, apareceu a postagem de uma ONG oferecendo uma mestiça de labrador. Veja bem, a gente não fazia questão de raça, queríamos mesmo ter o ‘feeling’ do cachorro. E sentimos isso com a Chica. Como os pais do Diego criaram um cachorro de porte médio-quase-grande em apartamento, achamos que daríamos conta também. E, por quase um mês, aguardamos a chegada da Chica.

Infelizmente a Chica voltou ao abrigo após alguns dias aqui em casa. Não demorou muito para percebermos que nosso apartamento não tem estrutura para um cão de porte grande, além de eu mesma não ter estrutura. A Chica chegou com 8 meses pra gente e já era um bebezão. Não conseguíamos dormir, porque ela subia na cama sem a menor cerimônia – até xixi ela fez uma noite, rs. Não conseguia cozinhar, porque ela tinha altura pra alcançar a pia, além de todos os impedimentos. Confesso que idealizei a ideia de ter um cachorro, mas não tive energia pra lidar com uma de porte grande. Tomar a decisão de levá-la de volta ao abrigo foi muito doloroso, porque eu já a amava muito, mas não tinha forças pra mais nada. Era um misto de frustração e culpa, eu me senti um monstro. Quando cheguei no abrigo, a menina responsável disse que já imaginava que fosse acontecer, mas que eu não desistisse de ter um cãozinho. Ela disse que a tristeza passaria, e quando passasse, que eu pensasse bem num cachorro que coubesse não só no nosso apartamento, mas também no nosso estilo de vida.

Olha o tamanhão da bebê Chica!

Eu já estava decidida a não ter cachorros nunca mais. Além do trauma e da culpa no retorno da Chica para o abrigo, não me considerava pronta pra ter outro doguinho em casa. Eis que eu estava com esse pensamento, até que recebi um telefonema da minha tia, perguntando se eu tinha interesse em adotar um cachorrinho ‘salsicha’ – o nome certo da raça é Dachshund. Ela me disse que os cachorros de um rapaz que trabalha na agência bancária dela cruzaram por um descuido dele e ele não queria vender – a intenção era colocar para adoção e continuar acompanhando os filhotes nas famílias. Liguei para o Diego, que pesquisou tudo sobre a raça (já sabíamos que era pequeno e ficaria de boa num apartamento, mas era primordial saber sobre a personalidade e comportamento). Em algumas horas, topamos. Fomos conhecer os filhotinhos em seguida, eles nem abriam os olhos ainda! Escolhemos a mais gordinha, e assim que ela desmamou, a trouxemos para casa.

Hoje eu me pergunto como eu pensei em nunca mais ter cachorro… A Peteca é a coisa mais linda e fofa da vida! Amor da família, ama visitas e ama visitar a casa dos outros também. É uma super companheira pra tudo, não pode ver eu me movimentando que ela vai atrás. Chega a partir o coração quando preciso ir na rua e não posso levá-la. Por ela ainda ser filhote, não pode andar na rua – mas essa semana já vai poder!

Nossa xalxixa veio mini e agora tá virando um xalxixão!

A Peteca chegou na nossa casa há pouco menos de dois meses, e preciso dizer que volta e meia me pego pensando no tanto de dinheiro que já gastamos com ela e que poderíamos ter direcionado para outras coisas. É bizarro, porque em frações de segundo eu me pego pensando no cheirinho dela e em como tê-la na nossa vida é maravilhoso, como a presença dela traz mais vida e mais luz pra nossa casa. Ela já tá quase 100% treinada pra fazer xixi no lugar certo, além de ser muito esperta e carinhosa.

Dito isso, preciso reconhecer que sobrou empolgação e faltou maturidade na nossa primeira tentativa de adoção. Entender o animal, as características da raça e se vão se adequar à sua casa e seu estilo de vida é fundamental para uma adoção de sucesso.

Ah, a Chica foi adotada há cerca de um mês. Nem preciso dizer o quanto ficamos felizes por ela ter encontrado uma família com, além de estrutura, muito amor pra dar!

Me sigam também nas redes sociais!

Instagram | Facebook | Pinterest

0
Nenhum comentário

Mulheres gordas que arrasaram no carnaval em 2018

14 de Fevereiro, por Mariana Rodrigues

O carnaval tá chegando ao fim, mas a galera ainda tem energia pra pular até domingo, quando oficialmente encerra a folia de Momo aqui no Rio. Eu sempre fui animada, fazia até planilha de organização para ir a todos os blocos que gostaria, mas esse ano optei por ficar na minha e acompanhar tudo pela TV e pelas redes sociais dos meus amigos. Além de passar dias em casa organizando meus afazeres, fui almoçar na casa da minha tia e organizei uma festa bacana para poucas pessoas na casa de uma amiga – falarei sobre essa festa por aqui daqui a uns dias.

Achar fantasias em tamanhos plus size é tarefa difícil. A cada ano mais marcas vem criando coleções cápsulas de fantasias, mas sejamos francas, apesar de terem fantasias ‘tendência’, a variedade ainda é muito menor comparada às fantasias em tamanhos regulares.  Muita gente  aposta nas coisas que tem em casa e complementa a fantasia só com acessórios. Mas esse ano, o que pegou mesmo foi o DIY – Do It Yourself, o famoso faça você mesma – e as gordas deram show de criatividade e graça nos blocos por aí!

Babu Carreira (São Paulo-SP) de Vice Miss Plus Size, Luma Soares (Niterói-RJ) de água viva e Débora Fomin (São Paulo-SP)

Separei as melhores fantasias que encontrei pela internet de mulheres que botaram o corpão pra jogo e caíram na folia, aproveitaram o carnaval até o talo e super se destacaram pelas fantasias maravilhosas que usaram no feriado mais animado do ano.

 

Babi Grayce (Paraty-RJ) de Lady Gaga, Yasmin Lima (Rio de Janeiro-RJ) de Chapeuzinho Vermelho,  Gigi Heuer (Florianópolis-SC) de unicórnio e Catu Oliveira (Rio de Janeiro-RJ) de Rainha de Copas

Duas mulheres maravilhosas ganharam os prêmios de destaque no meu coração neste Carnaval. Ambas são daqui do Rio e fizeram uma verdadeira maratona de blocos e festejos nesse carnaval, fiquei cansada só de acompanhar pelos stories, haha. A Ray Neon e a Stellinha Ravalhia foram super criativas e mandaram super bem nas fantasias!

 

Ray Neon: Peixe, lua, “festa na árvore” e “bicicleta do Itaú”

 

Stellinha Ravalhia: Arco-íris, Holly Golightly (Bonequinha de luxo), Candy Girl e Estrela

 

A festa esse ano já tá no finzinho, mas ficam aqui as inspirações para o próximo ano. Carnaval é festa de todos e para todos e é mais que justo ver cada vez mais diversidade nas ruas, inclusive nos corpos fantasiados!

Me sigam também nas redes sociais!

Instagram | Facebook | Pinterest

0
Nenhum comentário

Minha mini coleção de óculos de sol

6 de Fevereiro, por Mariana Rodrigues

Faça chuva ou faça sol, não tem acessório que eu seja mais viciada que óculos escuros. Sabe aquele item que você não sai de casa sem? Sou eu com os óculos. Se notarem, 99% das minhas fotos no meu instagram são usando óculos. Além do charme, eles escondem minhas olheiras quando não tenho tempo de passar make, e dão ainda o tom do look escolhido.

Confesso que não tenho muita preocupação com a real proteção dos óculos, embora eu saiba que é mega importante pra saúde dos meus olhos. Quando morei fora, comprava aqueles óculos da Forever 21, e quando voltei pro Brasil arrisquei bastante no camelô. Na minha coleção atual todos são de lojas que garantem proteção, e não necessariamente foram óculos caros. Outra particularidade: não curto óculos que tenham metal na armação, só curto os de acetato mesmo.

Hoje, quando penso em comprar óculos, procuro por cores que ainda não tenho na coleção. Ando buscando também óculos mais quadrados e grandes, acho que harmonizam melhor com o meu rosto. Ah, sou bem mão de vaca e não gosto de pagar muito caro não, tá? Os meus variaram entre 50 e 100 reais e eu pagaria até 120 por um diferentão. aqui embaixo, vou colocar os modelos que tenho e mais amo.

Também adoro dar óculos de sol de presente, acho incrível pensar na pessoa, no rosto dela, em qual modelo combina melhor com o estilo dela… Ano passado comprei para a minha mãe um modelo incrível da Fuel, com a armação preta e que troca de lentes. No total são 6 cores de lente (a de grau + 5 coloridas). Ela gostou tanto, que no aniversário da minha avó deu um kit igual de presente, haha.

Na minha lista de desejos de óculos escuros com certeza tem aqueles modelos que estão acima da média que eu considero ok para pagar em um, mas também tem coisa mais barata para quem – como eu – tá com a grana curta. Olha só quanta coisa legal!

 

1. Chilli Beans – R$249,80

2. Amaro – R$129,90

3. Fuel– R$79,90

4. Ui Gafas – R$99,90

5. Dafiti – R$308,oo

 

Vocês também são assim com óculos escuros ou tem preferência por algum outro acessório?

Me sigam também nas redes sociais!

Instagram | Facebook | Pinterest

0
Nenhum comentário

Uma peça, três looks – camisa Roda Saia da FARM

5 de Fevereiro, por Mariana Rodrigues

Cada vez mais venho sendo adepta de comprar peças que sejam versáteis e me possibilitem usá-las em diversas ocasiões. Não é uma tarefa fácil, já que adoro cores fortes e estampas marcantes, mas eu juro que tô tentando, haha. Quando gosto de algo, tento lembrar do que já tenho no meu guarda-roupa e como seria a função daquela peça ali. No post passado eu mostrei alguns jeitos de usar um determinado vestido usando acessórios para ajudar na versatilidade, mas o de hoje fala sobre a combinação de uma camisa com outros itens do meu armário.

Antes de falar de cada um dos três looks, preciso falar um pouco dessa camisa que conta história. Em 2017, a FARM completou 20 anos e resolveu ouvir um dos muitos apelos que os fãs da marca fizeram: voltar a produzir peças com a estampa roda saia. É uma estampa aparentemente simples, que consiste em fundo de cor fluorescente com flores (acho que peônias, talvez) off white. Estampas florais não são raras na FARM, mas essa em específico, fez muito sucesso – várias peças roda saia de anos atrás vendidas no enjoei a preço de ouro! Em dezembro, para coroar o vigésimo aniversário, lançaram uma mini coleção e também uma versão diferentona da estampa, com costelas de adão no lugar das flores.

Como não são todas as roupas da loja que me vestem bem, no dia do lançamento da mini coleção fui na loja do Rio Design Barra pra ver de perto o que me agradava, mas nas fotos que vazaram, vi que a camisa estava com uma modelagem mais generosa, então fui na intenção de levá-la. Realmente foi a peça que eu mais gostei, ficou linda e eu queria MUITO as duas cores (rosa e amarela), mas a grana tava curta e tive que fazer uma escolha difícil, rs. Lembro que demorei um tempinho pra escolher, daí levei a rosa. É a única camisa do meu guarda-roupas, já que sou uma pessoa mais chegada em t-shirts e croppeds, haha.

A camisa é super versátil e, apesar de ser, digamos, marcante, dá pra ser usada em ocasiões diversas, como trabalho uma saída mais arrumadinha ou mais informal. E hoje vou mostrar três modos diferentes de combinar a camisa, e em quais situações eu usaria cada combinação.

Calça jeans + flat mule

Ontem publiquei no stories esse look e, surpreendentemente foi um sucesso! Eu uso muito pouco calça jeans, então o pessoal fica meio chocado quando me vê usando. Combinei a camisa com um jeans boyfriend e uma mule branca e o look ficou ótimo pra trabalhar ou pra dar um passeio no shopping. Como eu sou calorenta, sei que vou repetir esse look num dia mais fresquinho – e se estiver chovendo, trocar a mule por um sapato fechado, haha

 

Short-saia branco + sandália slide

Como esse short saia branco é feito de um tecidinho mais nobre, esse look dá um ar mais sério e ao mesmo tempo informal, então eu esse look seria bacana pra um pôr do sol num quiosque bacaninha ou mesmo tomar uns drinks com amigos num bar mais arrumadinho na Orla. A slide ganhou o posto de sapato favorito no meu coração (falarei de slides em um post mais pra frente) e ganhei essa roxinha da Melissa no natal, então achei que daria um toque de leveza já que a camisa e o short-saia são mais estruturados.

 

Short jeans + top branco + slide fluorescente

Esse foi o look que eu escolhi pra passar a virada do ano! Na real, na virada do ano eu coloquei por baixo o sutiã faixa da GG.rie, e o ambiente era mais descontraído, beira da praia. A slide eu ganhei da minha sogra no natal (e já tinha comprado uma rosa do mesmo modelo uns dias antes). Pra ir ao shopping agora no verão, a um churrasco de dia e a qualquer outra festa que seja um ambiente mais relax esse look é uma ótima pedida.

Ah, se quiser ousar pode dar um nozinho e fazer da camisa um cropped.

Gostaram dos looks? Tem mais alguma ideia de como poderia usar essa camisa? Escreve aqui nos comentários 🙂

 

Me sigam também nas redes sociais!

Instagram | Facebook | Pinterest

0
Nenhum comentário

Dando uma nova cara a um vestido simples neste verão

31 de Janeiro, por Mariana Rodrigues

Verão é sempre um drama para quem gosta de vestir bem. Por mim andaria só de shortinho e biquíni pela rua, mas infelizmente não moro perto da praia e andar de biquíni não é socialmente aceitável, haha. Continuo usando meu uniforme composto de short jeans e blusinha grande parte do tempo, mas quando tenho alguma reunião mais importante, não adianta: tenho que sacar o vestido do armário.

Confesso que acho vestido uma peça super prática. Não tem muito no que pensar pra ver se combina, fica legal com sandália, sapatilha, bota e tênis, e, uma mesma peça pode servir para diversas ocasiões. No post da Ana Soares, do Hoje vou assim off, aprendi que o que dá o tom num look com vestido são os acessórios. Joias (ou bijous, no meu caso rs), bolsas, sapatos, lenços… é explorar a criatividade

Esse vestido que usei hoje é um curinga no meu guarda-roupas! Mesmo com uma cor nada neutra, é um modelo que me deixa super confortável e com um ótimo tecido, é tipo um linho. Eu ganhei ele para usar em um casamento que fui convidada. Era uma festa informal durante o dia, lembro que usei com um cinto fino, sapato de salto e um maxi colar dourado.

Usei também em outras diversas ocasiões, como essa aqui, em um dia mais friozinho, combinando com uma sandália e um cardigã mais descontraído pra ir trabalhar.

Também escolhi esse vestido para um almoço com amigos. Prendi meu cabelo no estilo yorkshire , coloquei um tênis slip on e uma bomber fofa. Usei também um óculos colorido e pronto, já estava toda estilosinha com uma peça básica do guarda roupas.

Já usei também para sair pra jantar, em entrevista de emprego… pretinho básico perde pra esse vestido mara que custou apenas 50 reais em uma promoção na Posthaus!

No calor que fez semana passada no Rio, apostei nesse mesmo vestido para um almoço de família. Como não era nada formal, coloquei um sapatinho e minha pochete de barquinho (que sempre faz muito sucesso por aí) pra dar um ar ainda mais descontraído. Adorei a composição, confere só!

O que eu mais amo nesse vestido é a versatilidade que ele me proporciona. E você, tem algum vestido curinga que vai com tudo e se adepta às mais diversas ocasiões? Conta pra mim aqui nos comentários!

 

Me sigam também nas redes sociais!

Instagram | Facebook | Pinterest

0
Nenhum comentário