Minhas impressões sobre o casamento do ano ❤

16 de outubro, por Mariana Rodrigues

Engana-se quem pensa que eu vou dar detalhes do casamento da Marina Ruy Barbosa. Embora o casamento dela tenha sido comentado à exaustão – do kit dado aos padrinhos às vestimentas dos convidados -, aqui nesse espaço, o casamento mais badalado do ano foi o meu, no último dia 30. Eu e Diego gastamos algumas (muitas) cifras a menos, mas, assim como na celebração da atriz, não faltou felicidade por todos os cantos.

Meu grande sonho da vida sempre foi ter uma festa de casamento com tudo o que tinha direito. Com o tempo, fui percebendo que o que era mais importante na comemoração é que ela traduza o relacionamento dos noivos, que faça com que as pessoas se divirtam e celebrem o real sentido de estarem ali.

Rolou uma saga com a previsão do tempo. Escolhi casar em um sítio em meio à uma floresta urbana no Rio, e chover não era uma opção na minha cabeça. Desde o início de agosto eu monitorei a previsão do tempo, e, na primeira vez que deu chuva, eu chorei demais. Na semana do casamento eu acalmei meu coração e aceitei a previsão de 80% de chuva. Ate eu me surpreendi por ter lidado tão tranquilamente, mas boto na conta de santa clara, que não clareou o céu, mas clareou meu coração. A maior questão era a contratação das tendas cristal, que custavam quase o dobro do que nos foi informado. Um gasto desses na semana do casamento é estressante (claro, se você não for a Marina Ruy Barbosa, rs) e gera uma tensão absurda.

Faltando 20 dias para a festa, vi que não estava satisfeita com os doces e chocolates que o buffet oferecia, contratei chocolates com a Ana Foster, é só os chocolates custaram mais que o sitio abateu por todos os doces. Não pensamos duas vezes e resolvemos nós mesmos fazer os doces, já que grande parte da nossa festa foi bancada pelo nosso trabalho na Brigadeiro & tal.

Passamos a semana inteira fazendo e enrolando doces com a ajuda de um dos padrinhos. Foram 650 doces, mais os 400 chocolates que compramos. Fizemos docinhos de chocolate meio amargo, capuccino, côco com damasco, pistache, limão siciliano, queijo parmesão com goiabada e nozes. Eu me mudei na semana do casamento, ainda tava me acostumando à nova casa e tava uma zona total, mas incrivelmente deu tudo certo.

No dia anterior à festa, eu fui ao sitio à tarde levar algumas coisas e acompanhei o pessoal começando a montar nossa festa.  Dei uma olhada nos arranjos que estavam prontos e eles estavam lindos, como eu sonhei! Voltei à noite para levar mais coisas e fiquei encantada com grande parte do sítio pronto pra minha festa. Eu tava 100% calma e certa de que daria tudo certo. As mesas estavam lindas, o muro inglês estava perfeito e com uma iluminação maravilhosa!

No dia do casamento, eu acordei mau humoradíssima. Passei praticamente a semana inteira dormindo pouco, e privação de sono acaba comigo! Além disso, odeio ficar parada, então a ideia de passar três horas parada com alguém me maquiando e arrumando o meu cabelo era sacal. Eu só amoleci quando a fotógrafa perguntou sobre o que tinha sido feito por nós ou por familiares e amigos.

Além dos doces, que já citei acima, fiquei emocionada quando lembrei que meu pai passou a semana fazendo geleia para colocarmos nos potinhos de lembrança. Foram usadas 80 mangas e 240 maracujás!!! Um dos padrinhos fez os convites e menus. Outra madrinha cuidou do RSVP. Os vidros com flores das mesas e os vasinhos que colocamos as suculentas de lembrança foram feitos pela minha tia. Outra madrinha fez o bolo e metade dos bem-casados. Tudo ali tinha energia e trabalho das pessoas q fazem parte da nossa história e isso era muito importante pra gente. Ali eu comecei a ficar ansiosa e a ficha caiu que havia chegado a hora de desfrutar de todos os meses de planejamento, trabalho e economia.

Chorei mais ainda quando meu pai me trouxe o buquê e a tiara, que estavam exatamente como eu sonhei. Coincidentemente tocava “Como nossos pais” enquanto minha mãe abotoava meu vestido, e aí, mais lágrimas. Eu já tava com vergonha de toda hora ter que retocar a make. Chovia muito e não rolou fazer as fotos ao ar livre no jardim do meu condomínio, infelizmente. Eu também não tava na vibe, a ansiedade me consumia, eu queria encontrar logo todo mundo e já estava morrendo de fome, hahaha.

Já pronta, fui informada que minha prima (que foi madrinha) e minha vó, que levou as alianças ainda não tinham chegado. A essa altura eu já tava ansiosa demais e fui pro sítio assim mesmo. Quando cheguei, elas já estavam lá, o sítio tava lotado e eu pude acompanhar do alto a entrada dos padrinhos. Na primeira batida da música eu já chorei muito! Ainda bem que a maquiadora tava lá em cima comigo, retocando sempre que necessário.

Na hora da minha entrada, nada mais importava. Eu não queria mais o guarda-chuva transparente, eram apenas chuviscos e eu encarei com tranquilidade. Eu chorava muito, e quando olhei pros convidados, tava todo mundo muito emocionado, o que só fui entender quando olhei pro Diego. Ele estava em prantos, e só de lembrar enquanto escrevo, me emociono. Nós estávamos transbordando felicidade e isso passou para todos os nossos convidados, gente. Eu nunca havia visto isso em nenhum casamento que fui convidada. Quem não chorou na nossa entrada, não aguentou ao ver minha avó entrando com as alianças – foi sem dúvida o ponto alto da nossa cerimônia.

A cerimônia foi linda, com rituais que escolhemos juntos e discursos dos nossos amigos celebrantes sobre respeito e cumplicidade. Nossos votos também foram emocionantes, eu olhava para os padrinhos e todo mundo chorava horrores. Nesse ponto eu já nem lembro se chovia, não fazia mais diferença… eu só conseguia olhar pro Diego e sentir que estávamos plenos em nossa felicidade. Nada mais importava naquele momento. Foi uma cerimônia não convencional, mas cheia de amor e preparada com muito carinho pra nós e pra todos que compartilharam esse momento com a gente.

Sobre a festa… Olha, todo mundo duvidou, mas eu e Diego comemos, bebemos e nos divertimos demais! Sentamos pra almoçar – como uma boa noiva do povo, comi bastante farofa enquanto bebia espumante -, e enquanto isso a maquiadora prendeu meu cabelo e retocou a maquiagem. Os fotógrafos/cinegrafistas também sentaram pra comer nessa hora – me preocupei se todo mundo que tava trabalhando tava comendo bem. Nos emocionamos muito na primeira dança, e depois, o DJ foi incrível! Durante o planejamento da festa, confesso que fiquei insegura por ser uma festa pós-almoço, mas o pessoal estava super animado. A pista bombou do início ao fim (o DJ teve que encerrar, senão ninguém saía da pista), e minha vó aos 80 anos roubou a cena, dançando todas-as-músicas!!! Ela é essa senhorinha de branco que aparece nas fotos dançando e também tentando pegar a garrafa de Chandon que eu joguei pras amigas, é mole?

No fim, só pude agradecer pela chuva e pelo tempo fresco, que, além de darem charme ao lugar que eu escolhi, foram providenciais pra que meus convidados não morressem escaldados. A Natureza é muito sábia mesmo, só nos resta confiar e aceitar.

Vi muitos casamentos enquanto planejava o meu. Me senti insegura muitas vezes achando que a minha festa não teria graça diante de tanta coisa diferente e luxuosa que vi. Mas nossa comemoração imprimiu bem nossa vida e o que construímos juntos até aqui, e isso foi passado para os nossos convidados de uma maneira espetacular. Prova disso foi ouvir de tanta gente que aquele casamento estava “a minha cara”. Foi, sem sombra de dúvidas, o momento mais feliz e mágico da minha vida até hoje e eu sou muito grata por ter vivido tudo aquilo ao lado de pessoas tão especiais.

Ainda não recebi fotos oficiais, então todas as fotos que ilustram esse post foram tiradas por amigos meus durante a festa e postadas com a hashtag #aquelecasamento. Espero que vocês curtam o teaser do vídeo do nosso grande dia e sintam pelo menos um pouquinho da alegria que transbordou lá ♥

0
Nenhum comentário

Chá de panela e alerta tendência de moda e decoração

18 de julho, por Mariana Rodrigues

Aproveitei a chegada dos meus 30 anos (no último dia 29) e a proximidade com o casamento para fazer duas festas em uma: reuni familiares meus e do Diego para comemorarmos meu aniversário e o nosso chá de panela. Modéstia à parte a decoração ficou linda e as nossas fotos, que estão longe de serem profissionais, não fazem jus à decoração real! Foi uma festa low budget, ou seja, com um baixo orçamento, poupamos em tudo o que conseguimos e muita coisa foi feita com a ajuda de família e amigos, já que dons artísticos não faltam por aqui!

Escolhemos o tema tropical chic para dar um empurrão nas ideias. Nossa paleta de cores era composta por um rosa tipo ‘rosé quartz’, um verde escuro ‘cor de folha’ e toques de dourado, no estilo ‘ouro monarca’. Os elementos de destaque eram três: flamingo, abacaxi e costelas de adão.

🚨 Alerta tendência 🚨

Nunca fui muito ligada à coisas de decoração e paisagismo, mas agora que tô indo para a minha casa e lidando com reformas e projetos, venho percebendo como o ciclo de tendências de moda e decoração são complementares. A folha vem desde o ano passado conquistando espaço dos vasos aos vestidos. Tudo indica que a primavera-verão será com surra de costela de adão pra todo lado!

🚨 Fim do alerta 🚨

Todas as tendências foram intensamente pesquisadas no Pinterest (clica aqui e me segue!) e no Google. Como em todo o restante do casamento, Diego participou ativamente da lista de presentes à decoração, passando também pelo cardápio. Alugamos o salão de festas do condomínio dos meus pais e botamos a mão na massa com a ajuda da nossa família e amigos.

Para dar uma bossa especial aos copos de plástico transparentes, comprei cola plástica e glitter e mandei ver! Alguns amigos adoraram fazer esses copos, no final tinha glitter até onde o sol não bate, rs. Minha tia fez um aro de folhas, com bambolês verdes e folhagens baratinhas que encontrei na CADEG. Alugamos também quatro suqueiras, onde colocamos pink lemonade, mate, batida de côco e batida de maracujá.

Botamos também canudinhos nos copos, pra dar mais charme

Para a mesa do bolo, um painel de pallets, uma mesa no formato cavalete e louças de porcelana. Tudo saiu por cerca de R$350,00. Estava pronta a “base” da nossa mesa de bolo. Complementei com doces comprados em um grupo de rodada de descontos – que é tipo um Peixe Urbano de festas no Facebook, rs. Como sempre, exagerei nos doces. Compramos bombons, macarrons, cake pops, palha italiana, suspiros e quindins – esses últimos nem couberam na mesa. Ainda fizemos quase 200 brigadeiros!

O bolo e os biscoitos são um capítulos à parte. A Carol é uma das minhas melhores amigas e está à frente da A Doçaria, fazendo o melhor bolo que já comi na vida. Não bastasse ser o melhor sabor, é também o mais lindo. Era incrível a reação das pessoas ao descobrirem que o bolo era t-o-d-o  c-o-m-e-s-t-í-v-el. Os biscoitos decorados, idem. Confesso que fiquei com pena de comer, haha. Eu e Carol conversamos sobre esse bolo por dias até chegarmos em uma conclusão, e, como confio no trabalho dela de olhos fechados, dei total autonomia pra que ela fizesse o que achasse melhor. O resultado foi incrível, gente!

Além do maço de folhagens, comprei na CADEG também folhas de costela-de-adão. Cada maço com 10 folhas enormes custou R$10,00, eu comprei dois e uma amiga ajudou espalhando pelo painel de pallets, dando um efeito final maravilhoso na área da mesa do bolo!

Não tenho fotos das comidinhas, mas optamos por servir coisas que se servem na praia. Minha madrinha fez empadinhas, minha outra tia fez esfihas. Eu e meus amigos fizemos sanduíches naturais e espetinhos caprese. Preparei também dadinhos de tapioca com queijo coalho, que foram sucesso. E meu pai, exagerado, comprou salgadinhos e ainda fez linguiça na chapa pro pessoal comer com mini pão francês.

Optamos por não fazer brincadeiras e deixar a galera à vontade pra bater papo ou dançar. Foi uma tarde/noite super divertida, ganhamos muuuuuuuuuuuuuitos presentes e só aumentou a ansiedade para a festa de casamento. Quem tiver oportunidade, faça o chá. É tão gostoso reunir todo mundo, jogar conversa fora e ainda aplacar a ansiedade para o grande dia… Eu não me arrependo nem um pouco por ter feito!

Gostaram do post? Me sigam também nas redes sociais!

Instagram | Facebook | Pinterest

0
Nenhum comentário

Ensaio pré-wedding Mari e Diego no parque de diversões

4 de julho, por Mariana Rodrigues

Confesso que desde o momento em que eu e Diego começamos a planejar o casamento não passava pela nossa cabeça fazer um ensaio pré-casamento ou pré-wedding, pra quem é colonizado. Pra mim, aquelas fotos não traduzem em nada a realidade do casal, não tem nada de natural. Mas isso foi até eu fazer (e receber, claro!) as fotos do ensaio que nós fizemos.

Quem fez as fotos foi um amigo que tem talento de sobra, o fotógrafo Matheus Rocha. Nós não sabíamos muito bem onde faríamos o ensaio, mas a ideia era fugir do lugar comum – praia, Jardim Botânico e Bosque da Barra estavam fora de cogitação. Pensamos na Livraria da Travessa, mas aí cairíamos na questão de não autorizarem… até que pensamos em um parque de diversões.

Eu sou fissurada por parques desde criança – de parque de bairro caindo aos pedaços até os da Disney, rs, fora que o mix de cores e luzes me encanta demais. Diego também curte, mas morre de medo das atrações mais radicais, além de ter pavor de tudo o que envolve altura, haha. Dei uma olhada nos parques do Rio, e, apesar de curtir o Shangai, o Play City do Shopping Nova América é mais moderno e maior.

O Matheus marcou com a gente no meio da tarde, para que pudesse fazer os primeiros cliques com o dia ainda claro, e depois que o sol se pôs, aproveitamos aquele colorido todo das luzes que todo parque de diversões tem! Foi uma tarde super gostosa, e se eu tava com medo de que as fotos ficassem meio forçadas ou artificiais, na hora que o Matheus dirigia a gente já dava pra perceber que ficaria lindo. Não fizemos nada além do que já rola no nosso dia a dia quando estamos juntos, e o resultado foi incrível.

Chegou a hora de vocês se encantarem com o nosso ensaio!

Gostaram do post? Me sigam também nas redes sociais!

Instagram | Facebook | Pinterest

0
Nenhum comentário

Como não azedar a relação com seus padrinhos

13 de Março, por Mariana Rodrigues

**Faltam exatamente 200 dias para o #CasamentoMarieDi!!!!!***

Eu tô muito empolgada!

Uma das missões mais delicadas de organizar a cerimônia e a festa de casamento é a escolha dos padrinhos. Padrinhos são muito mais que simples testemunhas, são aquelas pessoas que você confia e que pode contar para os bons e maus momentos. Geralmente são escolhidas pessoas da família com quem os noivos tem mais proximidade, além de grandes amigos que conhecem bem a trajetória do casal.

Nos grupos de casamento do Facebook, é incontável a quantidade de histórias bizarras envolvendo noivos e padrinhos, que vão desde ao famigerado traje até a roubo (!!!!) do dinheiro arrecadado na gravata do noivo.

Mas… quais os tópicos que podem fazer com que a amizade entre vocês se estremeça? Fiz uma “curadoria” do que vejo de mais comum nos fóruns online, muitas vezes culminando em desistência ou impeachment de um cargo que deveria trazer alegria para ambas as partes.

O que pode dar errado entre noivos e padrinhos na organização do casamento?

A escolha dos trajes

Ta aí algo controverso. Acho lindo o modelo de madrinhas usado nos Estados Unidos, com todas as mulheres usando o mesmo modelo da mesma cor. Ao mesmo tempo, creio que acaba deixando as pessoas que vocês tanto amam sem personalidade. Sem contar que seria incoerente eu -uma pessoa que fala tanto sobre estar tranquila com o próprio corpo e respeitar o corpo alheio – delimitar modelo e fazer com que as minhas madrinhas fiquem desconfortáveis durante toda a cerimônia e festa, né? Além disso, um vestido de madrinha muitas vezes custa uma fortuna, então delimitar cor e modelo pode deixar ainda mais difícil a possibilidade de suas madrinhas pegarem o vestido emprestado com alguém, né?

O que eu fiz: Dei 12 tons de rosa para que elas escolhessem e especifiquei que o comprimento pode ser curto ou midi, no modelo que elas acharem melhor. Um vestido curto ou midi acaba sendo mais funcional para ocasiões futuras. Além disso, falei que se alguma das minhas madrinhas estiver sem grana pra comprar o vestido, também não tem problema ir com outra cor. Meu casamento será de dia e em um sítio, então deixei claro que não precisam de salto, também.

Organização de eventos pré-casamento

Até mergulhar no mundo de festas de casamento, eu nunca tinha ouvido falar que os padrinhos tem por hábito bancar festas pré-casamento, como chá de panela, chá de lingerie, despedida de solteira, etc. O casamento é dos noivos, e tudo o que os envolve também. Padrinhos muitas vezes já tem um gasto grande por estarem no front do casamento, não faz o menor sentido pressioná-los para que tenham mais essa despesa.

O que eu fiz: Não neguei que precisarei da ajuda dos meus padrinhos para o chá e a despedida, mas será de uma maneira, digamos, operacional. Uma madrinha cuidará da lista, outra vai me ajudar a decorar o salão, outra vai dar uma mão na hora de fazermos as comidinhas. A presença delas nos preparativos me enche o coração de alegria, e, no fim, é isso que importa.

Convites

Sim, seus padrinhos são pessoas mais que especiais, e nada mais justo que você e seu/sua noivo (a) os atualizem de tudo, inclusive da dificuldade em conseguir fechar a lista de convidados. Alguns padrinhos simplesmente acreditam que, por terem participação especial no casamento, tem direito a convites ilimitados, podendo levar uma ou mais pessoas aleatórias que você não conhece ou tem pouca intimidade.

O que eu fiz: Tô desde a primeira lista avisando que estamos super apertados. Já falei pra enrolarem os crushes até depois de setembro, porque não cabe sequer mais um namorado (a) na lista. Brinks! Ou não, rs.

Presentes

Sem dúvida o maior ponto de brigas e estresses entre noivos e padrinhos. Não sei de onde surgiu a informação de que os padrinhos deveriam dar presentes caros, ou bancar um cômodo da casa, sei lá. Nós estamos no meio de uma crise econômica, com milhões de desempregados… não é porque a gente tem o privilégio de fazer uma festa de casamento – sim, mesmo pagando com muito esforço, ainda é um privilégio – que as pessoas precisam gastar mais do que elas querem e/ou podem com um presente para vocês.

O que eu fiz: Alguns padrinhos já perguntaram o que eu quero de presente, e já estavam apreensivos pensando que teriam que dar coisas tipo geladeira, haha. A única coisa que meus padrinhos tem que é aproveitar muito esse momento com a gente. Nossa lista de presentes tem valores variados para que se sintam à vontade em escolher o que puderem e quiserem, e se não puderem dar nada material, eu tenho a consciência de que o melhor presente eu já ganhei: o sim deles quando os convidamos para a posição de padrinhos.

Me ajuda, eu sou pobre

Vale pensar que, nesse período de tantas coisas a resolver, a gente tende a ficar mais egocêntrica, achando que o mundo tá girando ao nosso redor e que todos os nossos desejos devem ser prontamente realizados… mas não dá pra esquecer que nossos padrinhos tem suas questões individuais e não esquecer o real motivo pelo qual eles foram convidados para esse posto: a amizade entre vocês.

Já tiveram algum problema com seus padrinhos? Conhecem alguma história parecida com essas? Não deixem de me seguir nas redes sociais —> Instagram – FacebookPinterest

0
Nenhum comentário

Seus pets podem dar uma bossa incrível na cerimônia do seu casamento!

7 de Fevereiro, por Mariana Rodrigues

Há quem chame de “modinha”, mas uma tendência que vem conquistando cada vez mais noivas, principalmente aquelas que gostam de fugir do tradicional nas cerimônias de casamento: a participação de animais de estimação nos cortejos. Seja entrando com a noiva, carregando as alianças ou mesmo com as daminhas ou pajens, os bichinhos roubam a cena e deixam as celebrações ainda mais cheias de amor. Tem cachorro até sendo a surpresa da festa, olha que tudo! #FicaAdicaDiego

Creio que o ideal seja contratar um adestrador por um curto período (depende da personalidade do seu pet), para treinar o percurso sem que nada saia do controle na hora da festa. É importante também conhecer bem o seu bichinho e saber como ele lidaria com a música, com muita gente ao redor. O cachorro do Diego, por exemplo, não pode de maneira alguma participar. Ele é enorme e não pode ver gente “estranha” que pula em cima, sem contar que late super alto e assusta muito quem não o conhece, haha. Já imagino meus convidados morrendo de medo do dog doidão – embora eu quisesse muito tê-lo na nossa cerimônia, preciso confessar.

Olha a cara de desconfiado do dog!

E é claro que a gente sempre pensa em gato ou cachorro quando o assunto é animais de estimação, mas há quem faça questão da presença de outros tipos de animais em sua cerimônia, dando um toque ainda mais diferentão a tudo!

E o que dizer desse casamento lindo em que um gavião, ao que parece, adestrado pelo noivo, entrou com as alianças?

Se animou para ter seu bichinho como convidado de honra no seu casamento? Não esqueça de providenciar água e ração, além de avisar ao cerimonialista e aos fornecedores de foto e vídeo, e cheque também se o local da cerimônia permite a presença de animais! É importante também que tenha alguém sempre de olho nele, de preferência algum familiar que seu bichinho já esteja habituado. Depois de tudo organizado, é só colocar uma gravatinha especial para o momento e voilá!

Me acompanhe também nas redes sociais —> Instagram – FacebookPinterest

0
Nenhum comentário