Mulheres gordas que arrasaram no carnaval em 2018

14 de Fevereiro, por Mariana Rodrigues

O carnaval tá chegando ao fim, mas a galera ainda tem energia pra pular até domingo, quando oficialmente encerra a folia de Momo aqui no Rio. Eu sempre fui animada, fazia até planilha de organização para ir a todos os blocos que gostaria, mas esse ano optei por ficar na minha e acompanhar tudo pela TV e pelas redes sociais dos meus amigos. Além de passar dias em casa organizando meus afazeres, fui almoçar na casa da minha tia e organizei uma festa bacana para poucas pessoas na casa de uma amiga – falarei sobre essa festa por aqui daqui a uns dias.

Achar fantasias em tamanhos plus size é tarefa difícil. A cada ano mais marcas vem criando coleções cápsulas de fantasias, mas sejamos francas, apesar de terem fantasias ‘tendência’, a variedade ainda é muito menor comparada às fantasias em tamanhos regulares.  Muita gente  aposta nas coisas que tem em casa e complementa a fantasia só com acessórios. Mas esse ano, o que pegou mesmo foi o DIY – Do It Yourself, o famoso faça você mesma – e as gordas deram show de criatividade e graça nos blocos por aí!

Babu Carreira (São Paulo-SP) de Vice Miss Plus Size, Luma Soares (Niterói-RJ) de água viva e Débora Fomin (São Paulo-SP)

Separei as melhores fantasias que encontrei pela internet de mulheres que botaram o corpão pra jogo e caíram na folia, aproveitaram o carnaval até o talo e super se destacaram pelas fantasias maravilhosas que usaram no feriado mais animado do ano.

 

Babi Grayce (Paraty-RJ) de Lady Gaga, Yasmin Lima (Rio de Janeiro-RJ) de Chapeuzinho Vermelho,  Gigi Heuer (Florianópolis-SC) de unicórnio e Catu Oliveira (Rio de Janeiro-RJ) de Rainha de Copas

Duas mulheres maravilhosas ganharam os prêmios de destaque no meu coração neste Carnaval. Ambas são daqui do Rio e fizeram uma verdadeira maratona de blocos e festejos nesse carnaval, fiquei cansada só de acompanhar pelos stories, haha. A Ray Neon e a Stellinha Ravalhia foram super criativas e mandaram super bem nas fantasias!

 

Ray Neon: Peixe, lua, “festa na árvore” e “bicicleta do Itaú”

 

Stellinha Ravalhia: Arco-íris, Holly Golightly (Bonequinha de luxo), Candy Girl e Estrela

 

A festa esse ano já tá no finzinho, mas ficam aqui as inspirações para o próximo ano. Carnaval é festa de todos e para todos e é mais que justo ver cada vez mais diversidade nas ruas, inclusive nos corpos fantasiados!

Me sigam também nas redes sociais!

Instagram | Facebook | Pinterest

0
Nenhum comentário

Neste carnaval, cuidado com a apropriação cultural

31 de Janeiro, por Mariana Rodrigues

Chegou o mês (oficial) do carnaval, e essa é a época de pensar na melhor fantasia para curtir os blocos de rua e/ou bailes que rolam no país inteiro. Aqui no Rio, a abertura não oficial do carnaval de rua rolou dia 8 de janeiro, e, na mesma semana eu corri com algumas amigas para o SAARA (centro de comércio popular daqui) para buscar os adereços que fossem compor minha fantasia.

Confesso que esse ano não estava muito a fim de pensar, queria me preocupar mais com alguns acessórios que fossem confortáveis para a programação intensa de calor e folia, então fiz uma leve pesquisa nas fantasias mais populares de carnaval que poderiam ser feitas em casa. O Google me mostrou uma infinidade de índias, baianas e ciganas, e acendeu o alerta para uma discussão que, apesar de nova, é polêmica e precisa ser falada ano a ano até que todo mundo consiga assimilar.

Precisamos levar em consideração que usar uma fantasia que represente qualquer cultura diferente da nossa não é nem de longe uma homenagem, como muita gente insiste em argumentar. De que adianta vestir um cocar de índio pra curtir o bloco enquanto a população indígena é vítima de genocídio? Ou reduzir a cultura do povo cigano a uma bandana com lantejoulas? Usar como fantasia peças que carregam simbologia para um determinado grupo oprimido é apropriação cultural, e, pode parecer óbvio, mas é nosso dever respeitar as culturas diferentes da nossa.

Dicas do que não usar como fantasia nesse e nos próximos carnavais:

Algo que remeta à alguma religião que não seja a cristã:

 

 Roupas e acessórios que façam alusão a algum povo fora dos padrões eurocêntricos

 

 

 

Jamais faça black/red/yellow face. Não use perucas a fim de simular um cabelo crespo/rastafari. Não faça truques para o seu olho parecer mais puxadinho, nem use pinturas corporais indiscriminadamente.

 

O carnaval é uma festa animada e serve pra gente colocar a criatividade pra fora, pensar em fantasias diferentes e surpreender nossos amigos. Temos uma penca de personagens, animais personalidades, profissões e seres mitológicos que darão ótimas e divertidas fantasias!

 

Já sabe como vai se fantasias nesse carnaval? Me conta nos comentários, e nas próximas semanas vou soltar nas minhas redes sociais as fantasias que escolhi para o carnaval de 2017! Bora lá? —> Instagram – FacebookPinterest

 

 

2
Comentários