Fat suit – O que é e porque devemos falar sobre

15 de março, por Mariana Rodrigues

Depois do black face, do yellow face e do red face (quando atores brancos usam truques de maquiagem para interpretar personagens negros, asiáticos e indígenas, tornando outras etnias caricatas), a discussão que vem ganhando voz e provocando debates no âmbito da militância social – principalmente entre os gordos – é a do fat suit.

Explicando resumidamente: Fat suit é o ato de usar roupas com enchimentos, máscaras de látex e técnicas de maquiagem para viver um personagem gordo.

Em ‘O professor aloprado‘, Eddie Murphy usou máscara de látex, roupa com enchimento de espuma e bexigas cheias d’água

A prática não é nova, mas não encontrei nenhum artigo acadêmico sobre a técnica, o que me leva a crer que ainda temos um longo caminho pela frente. Falo aqui única e exclusivamente com a vivência de gorda que tenho. Hoje, com todas as discussões acerca da gordofobia, não deveria passar despercebido o fato de que, para que haja um personagem gordo em um filme, série ou novela, é preciso que um ator magro use uma fantasia. Ora, qual a razão de não buscar um ator gordo?

Na maioria dos filmes em que atores fizeram fizeram uso do fat suit, o personagem era o “gordo pra entreter”: engraçado, desastrado, romanticamente solitário – com exceção de Gwyneth Palthrow em ‘O amor é cego‘, cujo enredo foi uma sucessão de problemáticas -, ou seja, nem a desculpa esfarrapada de que é apenas uma “homenagem” cola nesse caso. É nítida a intenção de ridicularizar o corpo gordo.

Ache os erros ao ver John Travolta fantasiado de mulher gorda em ‘Hairspray

Aqui no Brasil, estamos com o fat suit em pauta Para viver a personagem Leopoldina na próxima novela das 18h, a atriz Letícia Collin fará uso de um macacão com 20kg para ilustrar o ganho de peso em uma determinada passagem de tempo. Provavelmente farão truques de maquiagem para “alargar”o rosto dela também e não ficar tão desproporcional, mas, será que havia mesmo a necessidade de colocar uma roupa para que ela pareça ter engordado?

“Ah, Mari, mas iam fazer o que? Trocar de atrizes só porque em outra fase ela apareceria gorda?”

Depois que a personagem de Drica Morais virou Marjorie Estiano como resultado de uma plástica em “Império”, não acredito que seja difícil a produção buscar uma atriz ao menos com as mesmas características de Leticia Collin que pese 20 quilos a mais.

Já passou da hora de termos personagens gordos vividos por atores gordos, principalmente personagens cuja história tenha enredos além da estrutura corporal. Não adianta ter um programa progressista falando de feminismo enquanto ridiculariza mulheres gordas. Como falei nesse post aqui, é apenas uma falsa sensação de representatividade.  Usar fat suit na caracterização de um personagem é mais uma maneira de esfregar na nossa o quão gordofóbica a grande mídia consegue ser.

A vestimenta usada por Vera Holtz para viver Dona Redonda, em ‘Saramandaia‘, personagem que chegou ao cúmulo de explodir por ser gorda

1
Comentário

Comente com o Facebook!

Os comentários estão fechados.

1 Comentário