Amar é também um ato de revolução

29 de julho, por Mariana Rodrigues

Durante muito tempo eu achava que estava solteira por conta do meu corpo fora dos padrões (eu me considerava fora, hoje vejo que sou ALÉM) impostos pela sociedade. Eu tinha muitos amigos homens, todos me adoravam, e cansei de ouvir o chavão “você não faz o meu tipo”, ou “não tenho preconceito, mas não me sinto atraído por gordas”. Achava mesmo que o problema desse role era comigo, que estava gorda, afinal, ninguém se sentiria atraído por mim “daquele jeito”.
Ora, ora.
Aos poucos, fui descobrindo que gosto é construção social. Desde cedo somos influenciados a ver beleza em quem está na TV, nas capas de revistas, outdoors. Ainda crianças, meninas tem como objetivo idealizam ser como a mocinha da novela, magra, loura, sensual. Ninguém se aproxima da gorda, a não ser que seja pra cumprir uma aposta. Crescemos acreditando que a melhor companhia para um gordo é a comida, que pessoas atléticas/magras não se interessam afetivamente por quem tem um biotipo físico diferente dos dela. Eu cresci acreditando nisso.
Cresci acreditando que meu papo, meu jeito na cama e minha inteligência tinham que ser acima da média para compensar o fato de ser gorda. De repente, daria a sorte de alguém se aproximar de mim por eu ser gente boa, ou poderia “prender” um cara por ser incansável no sexo. 
Com pensamento eu fui ladeira abaixo nos meus relacionamentos. Namoro abusivo, peguete às escondidas – o cara me levava pro bar, sentávamos na mesa do fundo, e quando íamos embora o cara simplesmente não me dava a mão-, fuck buddy que transava comigo, mas namorava mulheres magras. Pior que eu deixar fazerem isso comigo, é alguém ter a cretinice de fazê-lo.
Então um dia eu conheci um cara. 
Esse cara era educado, amigo, encantador. Eu estava convicta que seguiria na vida ciscando aqui e ali sem envolvimento amoroso, e esse cara passou uma noite inteira olhando nos meus olhos, olhando além do meu tamanho. Inicialmente eu desconfiei, afinal, o que um cara como ele – que tinha, além de um sorriso perfeito, gominhos no abdômen- ia querer com uma gorda que mal fechava uma calça 46? Acontece que ele viu algo em mim que eu não tinha descoberto, e me ajudou durante meu processo de autoaceitação. Ele colaborou para que eu visse que sou muito além de números – na balança ou na etiqueta de roupas -, e, mais que isso, hoje ele é um grande incentivador desse blog, onde eu escrevo com o objetivo de empoderar mais e mais mulheres que porventura se sintam pra baixo.
Esse olhar 
O que eu quis dizer com esse post? 
Por favor, não deixem que o mau caratismo de algumas pessoas faça com que você se sinta diminuída. Você, como qualquer outra pessoa, é merecedora do tão sonhado “final feliz”, seja ele qual for. Abra seu coração e sua mente, acredite na ideia de que o amor vai além de aparência física, seja exatamente quem você é. Antes de querer agradar qualquer outra pessoa, lembre-se de você, de estar confortável consigo mesma. O amor começa em cada um de nós, e a melhor história que podemos viver é com nós mesmos. Sei que esse último parágrafo pareceu retirado de um livro de auto-ajuda, mas não dá pra fugir do clichê quando falamos do mais nobre dos sentimentos, o amor.
Foto tirada pela maravilhosa Jéssica, na nossa festa de noivado

TAGS

7
Comentários

Comente com o Facebook!

7 Comentários

  • Jéssica Ribas

    30 de julho de 2015 - 10:27

    UooouuuL! Seu namorado é lindo (e muitooo gostoso). Que inveja branca, amiga.
    Quero me perder nesse tanquinho também!!! HAHAHAHA

    Você é um espelho, Mari. E o jeito que ele te trata parece ser muito especial. Valorize isso!!

    E eu? Ainda vou desfilar com um principe desses hahahahah

  • Roberta Passos

    30 de julho de 2015 - 14:14

    Cara, eu babei meeesmo na foto do seu namorado. Posta maiiis.
    Mais fotos dele (liberaaa as nudes, plis rs). E mais histórias boas de vocês.
    As vezes, é bom saber de romances que deram certo (para variar)

  • DanyRodrigues

    1 de agosto de 2015 - 01:28

    Ai Mari, me emocionei com esse texto!
    Obrigada, continue nos inspirando e incentivando, viu?
    Ah e que tal fazer um post só com fotos de vocês? hahah é muito amor envolvido, casal fofo demais ♥ beijão

  • Mariana Rodrigues

    3 de agosto de 2015 - 21:55

    HAHAHAHA ele é lindo mesmo, mas a beleza vai além da externa <3

    Todas temos direito e somos merecedoras de um príncipe como ele – ou como sonhamos!

    Um beijo, Jéssica!

  • Mariana Rodrigues

    3 de agosto de 2015 - 21:56

    Que bom que curtiu, Dany!

    Obrigada pela visita 🙂

  • Mariana Rodrigues

    3 de agosto de 2015 - 22:16

    hahahahahha ele é lindo, mas por trás disso tem muito mais!

    <3

  • Jariane Ribeiro

    6 de outubro de 2015 - 11:12

    Menina! Você fez meu dia feliz, eu estava aqui me sentindo mal por ter burlado a academia mais uma vez e não feito das tripas ao coração para ficar mais magra (visto 46), mas ao ver seu texto fiquei muito feliz e vi que não tenho que mudar quem eu sou para agradar alguém, ou fazer de tudo para me notarem, na hora certa a pessoa certa vai aparecer. Obrigada <3

    http://www.caffecompalavras.blogspot.com.br/